onselectstart='return false'>

As Flores de Papel

18 dezembro 2010

2 comentários

Com olhos cansados e mãos doloridas
procuro palavras na estante
mas esqueci que as frases estavam
amarrotadas no bolso da minha calça
então reli todas aquelas letras 
e as coloquei numa garrafa e joguei
pelo ralo da pia da cozinha
Pra ver se a mensagem chegava aos
casais que tocam as mãos e trocam olhares
em frações de segundos
E se o comediante abriu as flores de papel do jardim artificial
mas os mesmos olhos cansados e as mesmas mãos doloridas
já não aguentam mais,mas nem por isso a poesia tardará
de colar os cacos dos corações partidos e beijará a alma lamentada

O Pianista

06 dezembro 2010

2 comentários
Suspensos no ar com variações dissonantes pensamentos fluem
E da garganta saem palavras e dos lábios os sorrisos abundantes
Só dependo do acorde afinado para poder escrever a palavra correta
Mesmo que os sons mudem a tonalidade do céu azul da boca avermelhada
Ninguém pode negar que as estrelas não brilharam no horizonte perdido do universo com toda sua verticularidade
É nisso que penso, é nisto que sigo cantando palavras contadas de olhos fechados
E apertando a tecla da decisão sem números digitados ou cartões invisíveis a olhos nus
Sou como o pianista que clama e canta e tenta sentir na alma a sua mais bela expressão
E peço pra me deixarem sair e pergunto se tudo vai dar certo
Mas tudo foi removido quando me disseram que tudo daria certo
E isso tudo varia com o estado de espírito
E só me disseram para eu pegar todas as minhas coisas no estacionamento
Mas onde tudo isso irá nos levar?
Talvez nos leve à terra encantada na floresta de Lothlórien para dançarmos com seres magicamente reais até que nossos pés se quebrem e nossos dedos se fragmentem
Eu já disse que amo o jeito com que suas mãos se encaixam tão bem nas minhas?
Mas agora temos que separá-las por um momento pois tenho que por referências em um trabalho acadêmico e eu não estava preparado para isso.
Que toda essa pláteia de surdos e cegos me perdoe pela minha horrível encenação
e meus sussurros internos pois esqueci o tom da melodia não tocada pelo violinista
E acompanhado por canções  tento curar minha ferida brilhante
Pois estávamos perdidos no mar e agora encontramos o caminho de casa
E com nossas pegadas na areia dessa selva de pedra onde carros passeiam perpendicularmente
descobriremos que os valores da hipotenusa estavam totalmente errados
Mas mesmo assim não desistiremos de contar nossos sonhos que tivemos na noite passada
Mas uma coisa vos peço,não deixe seu coração cair em vaidade como o do homem do guarda chuva vermelho que ilustra a capa do livro que está à minha direita.

Castelos

05 novembro 2010

3 comentários





Respirei fundo e comecei a pensar e meus pensamentos me levaram longe
como numa viagem atemporal e sem sair do lugar
Vi rosas cinzentas cultivadas em estradas de asfalto
e paralelepípedos paralelamente paralelos
Vi a noite vazia na qual descrevo e escrevo estas palavras
Senti a solidão bater na porta do meu peito
Visualizei frases ainda não formadas e criei letras uniformes
Mesmo assim o que falta na bagagem não são as lágrimas e nem os sorrisos
Pois estes já caminham comigo desde sempre
Eu sinto falta de uma falta e esta falta que sinto me faz procurar por entre os galhos quebrados
da árvore que está caída no chão
Minhas asas de bronze pesaram e se chocaram com uma nuvem
e dela saiu a chuva que banhou o litoral
Vi imagens e fotografias emolduradas na estante
E senti calafrio quando o sol aqueceu a terra
Essas palavras alteradas não deveriam estar nesta folha branca
Mas o sono perdeu o horário e me disse que chegaria um pouco atrasado hoje
E o que me conforta são todas as horas passadas junto à ti
E o que me sustenta não são as formas em espiral das colinas
Mas um romantismo que se estende além do céu
E eu paro e olho pra trás e espero o sol brilhar e o dia amanhecer
para ver e sentir o teu sorriso outra vez
E se me perguntarem se tudo isso vale a pena
eu direi que os castelos que foram construídos acima das nuvens
não necessitam de regras de arquitetura e que os que acreditam
naquilo que dizem são dignos de minha desconfiança incerta.
E direi também que isso tudo que foi dito aqui
está acima da compreensão de um leigo como eu
que com as próprias palavras (escritas ou não) entra em debate consigo mesmo.

Cadeira Prateada

20 outubro 2010

4 comentários


A chuva cai e o vento balança as roupas que estão no varal

Enquanto os pássaros se alimentam  para passar o tempo

Vejo invenções e transformações e acordes variados constantemente

Esse frio que queima a pele toca o coração e o faz ferver mais uma vez

E já se passam das dezesseis horas, mas isso em apenas alguns lugares

Mas mesmo assim vejo o mesmo caminho que outrora segui

E esta é a única razão de me sentir em segurança

Nestas linhas que estão meus gritos e anseios são apenas gestos reprimidos

Que não se pode falar para qualquer pessoa, mas para os que cantam com a alma

E a melhor coisa é que não me sinto ignorado aqui, pois cansei de respostas não dadas

Às minhas questões referidas em um momento transversal

Gostaria de fazer uma crônica, mas as criticas superariam o tom azulado de meus pensamentos

Vejo esses movimentos vazios que antes eram tão inspirados e também todas estas desesperadas tentativas de reavivar a chama sem o fogo

Então não me arriscaria em tentar não ser resgatado por filosofias soltas na brisa que anda sobre o mar.

Meus sussurros exclamam e questionam, meus olhos ardem e lacrimejam e o sol se esconde vergonhoso atrás das nuvens cinza deste céu neon.

E não me importo com línguas e sorrisos falsos que se utilizam de pequenas falhas para seu próprio sustento maculado

E mesmo que as portas se tranquem e as luzes se acendam neste cômodo eu sei que a alvorada não deixará de existir e nem que as gotas de orvalho deixarão de brotar nas rosas de outono então ficarei aqui sentado em minha cadeira prateada vivenciando momentos e silenciando os rumores que não me interessam mais.

Asa-Metade

24 setembro 2010

3 comentários



Para Deyse
Hoje o dia acordou tão claro
devido a nossas conversas na madrugada
Sobre lua e estrelas,sobre contos e fadas
A chuva se foi e levou nossas lágrimas embora
E então podemos caminhar sobre os campos verdejantes
Nossa igualdade absurda as vezes me assusta
Mas é tão liríca essa nossa poesia
Que mesmo parecendo triste nos traz alívio
E meus olhos não se cansam de observar tua face de anjo
E meus ouvidos não se cansa de ouvir tua voz de veludo
Que me fala coisas doces e admiráveis e ecoa por toda a sala
E neste tempo que se passa o céu brilha com gotas de orvalho
E as nuvens carregam seu branco para perto do sol
Só desejo que não esqueça quanto diferença faz tua presença em meus dias

Que é indispensável como ar que respiro.
E é tão verdadeiro e fabuloso como nos amamos
que esse amor jamais desapareça que seja duradouro até a eternidade
Somos parecidos,somos iguais,somos tudo que podemos ser
podemos ser rei e rainha,podemos ser tudo além da nossa realidade
Mesmo sem rimas ou palavras bonitas o que importa que elas são verdadeiras
Mesmo que as ondas derrubem nosso castelo de areia
Somos mais do que tudo o que dizem,bem mais do que pensam
Por que nós somos assim de verdade,você sou eu,eu sou você
minha Asa-Metade

*Procurando o que é amor...

06 agosto 2010

4 comentários

Juro que custou para que as palavras surgissem e se derramassem sobre o papel, primeiro que não se trata de um assunto qualquer, como falar do último capítulo da novela das oito ou de outro assunto fútil, é falar sobre a força que rege os simples de coração.

O amor já foi descrito por vários poetas, porém nunca foi definido por eles e jamais será definido por qualquer mero mortal, ele simplesmente é indefinível, poderia eu tentar defini-lo, mas seria uma vã tentativa.

O amor (em minha falha opinião) é querer ficar próximo mais perto da pessoa amada, é sentir necessidade de ficar junto e dividir até a respiração, é se entregar, se render e conseqüentemente querer ser recompensado por tal ato.

É ter a própria idéia de paraíso, é perder-se no meio de medos e anseios.

Mas ainda estou procurando o que realmente é o amor em sua essência ou será que essa essência é tão nítida que não podemos enxergá-la? (Contradição!)

Creio que podemos apenas senti-la e nada mais, pois quando o amor bate na porta do coração instantaneamente ficamos cegos, não há como enxergar nem mesmo um palmo à nossa frente muito menos a essência de algo que transforma a vida de uma pessoa;

Mesmo que um dia esse amor possa vir a se transformar em algo que te faça sofrer não hesitar vivenciá-lo é a melhor coisa que podemos fazer e ter fé que um dia dará certo e atitude para buscá-lo

Como a bela voz de Leigh Nash diz: “O amor quebra teu coração para te ensinar a ser mais forte.”

Enfim, o indefinido e inefável amor é mais além do que nossas falhas conclusões e mais imponente do que nossos frágeis corações, talvez deva ser por isso que quando ele vem não há forças para impedir o seu domínio.



Observação: A flor da imagem é a espécie denominada amor-perfeito.

*Texto criado para participar da série "Aturdidos Procurando o que é amor..."
do blog da Ana Paula http://anaconfabulando.blogspot.com
Clica lá e não se arrependerá 

E nunca mais seremos os mesmos*

04 agosto 2010

2 comentários



Eu gostei de quando você chegou
Sentou, sorriu e fez morada em minha vida
Você quebrou barreiras, distâncias, muralhas que me cercavam do mundo
Levou-me para fora e permitiu que o externo se tornasse interno em meu ser
Explicou,complicou,inventou mistérios
E tirou tudo do lugar
Fez-me ver a vida pelo avesso

Eu gostei de quando você chegou...
Mas embaralhei no caminho, tropecei em seus passos
E entendi errado o que quis me mostrar
Esperando um abraço, foi de meus braços que quis se afastar

Desfaço meus passos,
Faço um novo compasso para o meu andar
E é longe de tudo, é longe de todos que busco então recomeçar
Porque eu sei que em meio a sorrisos
Houve lágrimas
E pra cada gota que caiu, limpou uma pegada marcada ao chão
E assim como uma pegada some
O passado é esquecido
Nossa história muda
E nunca mais seremos os mesmos


*Por: Lorena Neves(My Great Grandma)

Carrossel e Cavalos

27 julho 2010

2 comentários



Nós costumávamos ficar no carrossel
Vendo os cavalos ao redor
Banhados pela a água da chuva
Que caía sobre o cais

Tentando entender por que o céu é azul
Sentindo a brisa que vem ao meu encontro

Estávamos esperando o sol se por
Para aquecer nossos corações
Ele está entre nós
E permaneceremos aqui.

Mas o tempo passa e não consigo esquecer
Seu rosto desenhado dentro da minha mente. 

Dúvidas Programadas e Defeituosas

21 julho 2010

2 comentários


Esse dia se tornou estranho por causa de coisas que ainda não esqueci

Como sempre  há uma música que te lembra algo e a minha é esta que se executa agora

Nesta madrugada fria e extensa, me pego acordado e triste, há vários motivos

Porém não hei de falar nada sobre eles, vamos deixar as coisas como estão.

Sinto minhas mãos congeladas por conta do frio que invade minha casa

Um inverno melancólico... Preto e branco, como deveria ser.(Já dizia uma amiga minha)

Talvez esse seja um dos meus textos mais diferentes que tem neste blog

Mas estou sentindo vontade de fazer isto, então farei.

Sabe,tem sido difícil pra mim,esta convivência não tida que se instala no coração

Que invade meu cosmo e que esquenta a alma de um jeito tão absurdo

Que chega ao ponto de me deixar triste e acordado até agora.
(Sei que já falei isto lá em cima) 

Enquanto os outros dormem o sono dos justos cá estou eu, digitando tantas coisas

Que para alguns não fazem sentido algum, mas pra mim faz total sentido, neste momento só estou 

Me importando comigo e não qual teoria vão elaborar ao ler isto que está longe de ser poesia.

Essas vírgulas e pontos que  me olham de frente,me encarando como se eu tivesse medo de errar,pior que tenho mesmo,contudo tenho a ousadia de afirmar que estou ou sou o errado aqui.

Que meus leitores me perdoem por eu não esclarecer minhas dúvidas programadas e defeituosas,mas quem lê entenda,melhor,nem tente.

Acho que estou no ápice da fase louca que todo poeta é obrigado a ter,mas estou tão lúcido quanto alguém que acabou de acordar...que a Florbela não me espanque por isso.

Digo-vos que isto não é revolta e sim um desabafo,pois não agüento mais esta companhia (apesar de boa)fria e demorada da tristeza que me alegra com sua tediosa e agradável presença.


Just I miss you,My Little Bear,I know that you feel the same! This is the reason for this text...;(
(Sacred fruit of God)
Se quiserem ler poesia de verdade eis uma logo abaixo:

 Os versos que te fiz
 

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!
 
Florbela Espanca 




A Canção do Inverno

07 julho 2010

3 comentários

Mais uma vez a chuva cai imponente e suas gotas molham todo meu quintal
Ouvindo a canção do inverno posso lembrar-me de todas as primaveras já vividas aqui neste lugar.
E com essas lembranças vem também a falta de inspiração que me toca neste momento
Como gostaria de sentir o sabor da chuva, mas estou aqui trancado e o frio incomoda a minha alma.
Apenas posso observar o cantar de um coral chuvoso enquanto essas páginas estão sendo preenchidas com memórias distantes.
Sinto falta...
Mas como me disseram: “A vida é injusta”
Tento não concordar, mas é a mais pura verdade, então me calo.
"É realmente seguro dizer que somos apenas feitos dessa forma,
feito para enfrentar o sofrimento?"
Hoje não queria falar do amor, mas impertinente como ele é não poderia deixá-lo de fora.
A razão dessa escrita é a forma de sentir a solidão batendo na porta do meu quarto que deixei entre aberta,pelo menos ela é um pouco educada.
Talvez as mãos que me pediram pra segurar um dia seja a que me bate na face agora
E a boca que dizia que me amava é a que se cala diante de mim.
E o ciclo continua como sempre sem poder parar por motivo algum
Hoje me surpreenderam e me disseram que desejos eram realizados
E um deles fora assim por dizer,não como eu queria mas como merecia
E como atores na cena de um filme, aqui estamos nós caindo e caindo
E esta juventude que mescla-se com a sutileza de uma verdade manipulada só nos traz desgosto mesmo que seja superficial e então fica a cicatriz no rosto do guerreiro
Se a lua brilha em você enquanto você está dormindo,Ela vai mostrar tudo o que eu estou sentindo.
Provavelmente eu não tenha certeza disso tudo,mas quem sabe um dia o que se teme possa ser algo que seja útil e o que aqui está escrito não faça sentido para quem leia?
Talvez alguém chore ou ria de todas essas combinações fraturadas e então um dia dormirei com a cabeça voltada contra o céu para ter sonhos bons e momentos inesperadamente gratificantes

Salva--me Cavalheiro

20 junho 2010

1 comentários

Rosa dos Ventos

10 junho 2010

1 comentários
                             
Rosa dos Ventos                                                                                   "Tchu Beiber" XD

Ando em direção ao horizonte, meus pés não erram o caminho.

Indicas onde devo ir, és minha bússola, minha rosa dos ventos.

Sinto no ar o perfume que exala de mim, sinto o teu amor suave vindo até a mim.

Somos duas almas que se amam, entrelaçadas no amor que vivemos.

Nesta imensidão de sentimentos, nos sentimos leves, nos sentimos vivos.

Teu olhar me acompanha me sinto tão perto mesmo estando tão distante.

Pois meu coração está em tuas mãos

É tão magnífico saber quanto apreço tem por mim e saber que sinto o mesmo por ti

Razão da minha felicidade, razão da lágrima que caiu quando não te encontrei.

Contemplamos-nos um ao outro sem ao menos dizer uma única palavra, nos entendemos no silêncio.

Silêncio que fala de nós mais do que poderíamos dizer

Meu amor por ti é infinito, é meu romantismo ideal...

A obra de arte que mais admiro, eu anjo lindo monumental...

O raio de sol que atravessa às nuvens, a brisa que suavemente toca o meu rosto, a melodia perfeita que tanto ouço... É o sonho que teimo não acordar, minha realidade perfeita.

Dizer que te amo é tão pouco para poder expressar o que sinto por ti...

O que sinto por você é algo que não se pode expressar com palavras apenas.

É e sempre será minha princesa, meu anjo, meu bebê... Meu amor

Te amo cada dia mais e cada dia mais te amarei.

Lugar Vazio

2 comentários

Nas memórias relutantes que assombram o teu ser, no teu esconderijo onde teu coração permanece
eu sei que tem um lugar guardado pra mim
na caverna do teu ser cujo lugar onde as águas se encontram, no labirinto do teu ser, na incerteza do teu interior
há um lugar guardado pra mim
 mesmo ainda esquecido, abandonado, traído, certamente sei que há um lugar guardado pra mim
nas trevas do teu coração, na floresta negra dos teus pensamentos
na virtude de tua tristeza, na obscuridade de tua vertigem.

Eu sei que há um lugar guardado pra mim
nas lembranças remotas, nas bravas ondas de tua amargura, no triste lar vazio que habitas
há um lugar guardado pra mim
no derramamento de tuas lagrimas, nos prantos inconsoláveis, na carência de tua alma
há um lugar guardado pra mim
no teu coração despedaçado, em teu peito dilacerado, no descontentamento da tua alma
permaneço crendo que há um lugar guardado pra mim
conheço tuas memórias, sei onde é teu esconderijo
 já passei pela caverna, caminhei pelo labirinto, passeei pelo teu interior, 
levei a luz para a floresta negra
  caminhei sobre as bravas ondas, quero habitar nesse lar vazio e enxugar tuas lágrimas e cuidar da tua carência, concertar teu coração e reluzir na tua vida
 mesmo ainda esquecido, abandonado ou traído, te amarei mesmo assim... 
Não te abandonarei, pois tu és minha filha a amada da Minh'alma
querida minha vem pra mim, sou teu Senhor e Pai...
Jesus Cristo



Um Romance com Deus

1 comentários



E apenas choro, um choro amargurado, o anjo ainda não está limpo
sinto-me o pior dos homens, pois não estou bem aos Teus olhos
minha carne se derrete perante Ti, sei que estás triste, sinto no meu coração, gostaria de poder chorar
desculpe Te desapontar mais uma vez e surrar Teu rosto mais uma vez
muitos riem de mim neste momento, virei escárnio, motivo de zombaria, mas...
Meu coração dói, lágrimas se penduram em minhas pálpebras e resistem à queda, ainda...
sei que Tu me perdoa, me sustenta pela bondade que existe em Teu coração, sei que...
em mais uma alvorada, minhas asas serão cuidadosamente limpas
e a poeira que está em meu rosto será limpa, Tu...
a vida que eu respiro o meu esconderijo perfeito, Te pedi a tristeza para que eu não possa negligenciar me...
apaixono por Ti todos os dias, a cada hora que passa
vai matando o antigo que tenta se levantar ama...
a minha existência, sonda-me guarda, faço muita coisa contra Ti
mas ainda sei que Tu me ama!

Poetisa Nefanda

2 comentários

                                                                       To Lady Moss


Mesmo que as lágrimas escorram em teu rosto sempre estarei por perto

Poetisa Nefanda de olhos escuros e lábios vermelhos, a qual eu ouço recitar as suas lamúrias... Espero-te no final do espetáculo.

Vieram em minha memória lembranças de nossas conversas, de alegria e tristeza, de dores e felicidades.

Sinto falta da tua poesia, sinto falta da tua companhia que me fazia tão bem, mas mesmo assim jamais me afastarei de ti...

Poetisa Nefanda que não maculou o coração, que de todos fora a favorita, estou aqui para prestar-lhe minha mais nobre homenagem... Declaro com essas palavras o quanto amo o teu jeito de ser, e a maneira que se expressa... Uma maneira tão majestosa... Que todas as donzelas sintam inveja de ti, pois aos meus olhos és tão perfeita quanto uma rosa desabrochando no Éden.

Contemplo o teu coração que amas mesmo correndo o risco de não ser amado

Que se lança totalmente no mar de emoções... Hoje  lembrei-me de ti (como se alguém pudesse esquecer de ti... é impossível).

E nestes versos ponho minha gratidão e todo o meu carinho e afeto por ti

Obrigado, por ficar ao meu lado, mesmo em meus devaneios.

Cuide-se... Não deixe nunca se abater, por nada.

Não esqueça que uma pessoa lhe admira... Até a alma



A Mais Bela das Mulheres

2 comentários


Lendo os lábios da poetisa eu pude perceber que havia alguma beleza ali

As palavras soavam como água cristalina de um lago habitado por cisnes brancos.

Mas havia algo mais, não sei bem ao certo o que era, mas sei que me tocou profundamente, uma coisa que invadiu meu coração.

Ela parecia triste, mas apenas parecia...

Sua aparência me fez lembrar de uma imagem que jamais tinha visto: A sua face molhada com lágrimas.

Ela cometeu um erro, foi o que me dissera certa vez, não pude entender ao certo e não havia nada que pudesse definir.

Ela, minha personagem predileta, ela que com sua beleza e esplendor roubou-me o ar.

Minha esperança estagnou-se e em prantos calei-me, sentindo o fio da navalha na corda que me sustentava e vir partir ao meio.

Há sentido nisso tudo?

Talvez não haja sentido algum, apenas letras incompreendidas em uma simples folha de papel.

A poetisa que em forma de versos recitava seus prantos e suas dores olhou-me nos olhos e cantou uma canção, a canção que escutara na noite anterior, aquela que contava seus amores, feitos e suas aventuras.



“Ah, se pudesses me ouvir, eu te amaria por toda a vida”.

Mesmo que com imensa dor fosse ferida

Jamais pudesse sentir um amor ‘assim “‘“



E foi assim por toda a noite...

E no frescor das palavras que ela entoava, apaixonei-me.

Ao som do piano que tocava uma velha melodia em uma noite serena e tranqüila

Conversávamos sob o luar.

Sua voz que trazia acalanto à minh’alma era a canção que sempre almejei ouvir

E hoje sinto falta daquelas belas palavras e daqueles versos que jamais esqueci

Só não sinto falta da mais bela das mulheres, pois a tenho comigo e dentro de mim.


O Beijo (Amém)

1 comentários



Nesta noite fria e melancólica, nesta luta entre a Razão e minha razão.

Minha alma chora, no peito um ardor fatigante e insano.

Como Judas, com um beijo trai meus ideais.

Sinto-me como o verme mais vil que habita no mais profundo túmulo

Consumindo a carne que putrifica gradativamente.

Meu coração clama por perdão, ate o meu próprio...

A madrugada se vai, meus prantos se acomodam.

E me perturbo com os fantasmas que eu mesmo os criei.

Minha realidade se esvai quando me vejo envolvido pela fantasia,

Que os anjos quem me observam silenciosamente me ajudem a enxugar

As minhas lágrimas e façam-me levantar de onde cai e lancem fora esta pedra que

Há no meu caminho e que meus sonhos se concretizem e que eles, os anjos digam: Amém.

Dificultosamente Estranho

0 comentários


Está tudo tão estranho de repente sou levado por uma leve tristeza, não entendo porque meus olhos teimam a encharcar-se com lagrimas, aparentemente não vejo razão, mas meu coração parece estar sangrando, não vejo antídoto, acho que perdi algo, ou nem mesmo sei o que foi.

Está tudo tão estranho de repente um vazio ate essas linhas dificultosamente escrevo, ate as mais belas palavras se negam a estar na ponta da caneta, minha mente pesa, não estou bem, acho que minha alegria foi passar férias na Sibéria.


Memórias de Dores e Gritos Distantes

0 comentários



Quando a noite chega, ela vem acompanhada com a tristeza.

Que embeleza meu coração que escurece meu peito.

Sofrimento de um aflito sem nação nem rumo certo

À espera de um abraço calmo e caloroso

Chorando sozinho nesta solidão mortal

Onde foram os pássaros?

Não ouço o seu cantar que me surpreende todas as auroras

O vento frio que vem em minha face

Apenas eu e a estrada vazia...

Memórias de dores e gritos distantes

Caindo... Caindo...

Haverá retorno?

Vejo as horas que teimam em passar

Meus olhos se encharcam com lagrimas que impiedosamente caem em meu rosto

Será que jamais sentirei teu caloroso abraço?

Prefiro a morte...

Intocáveis são teus lábios, os quais apenas eu observo e observo...

Pararia o mundo somente para te ver e olhar em teus olhos...

Poderia permanecer ali a vida inteira...

Somente observando e admirando o teu olhar e essa face de anjo

Sou um sonhador, apenas isso e mais nada...

Busco o impossível alcançar, mas ainda nem sai de onde estou.

Quanta ilusão, quanta fantasia em meu mundo que criei.

Contento-me com tudo isso que se passa diante de minha face

Apenas imagens, imagens obscuras de um futuro inexistente o qual eu teimo em encontrar...

Oh lamúria incessante que invade minh’alma e arranca meu coração

Que dor é essa que não se finda?

Que marasmo é esse que sempre caminho através dele?

Ensina-me a não esquecer...

Quero o caminho de volta pra casa, mas que casa?

Se não tenho nação nem rumo certo?

Nada dura para sempre...

Nem mesmo o sempre é sempre

E o que falarei do amor?

É precioso dom para os meros mortais como eu...

Não te demores em teu recôndito, não se aparte por inteiro.

Não me arranques o que já não me pertence...

Pois já dei tudo a ti...

As cores do jardim de minh’alma se foram, sem ti todas as flores murcharam.

Nem eu mesmo poderei trazer-lhes vida novamente

Dor profunda que não esquece onde habito...

Espero chegar a um novo dia...

Espero encontrar um caminho

Espero e apenas espero.

Só.

Asas Derretidas

09 junho 2010

0 comentários
Asas Derretidas


Meus pulsos dilacerados, meus sonhos destruídos.

Uma intensa guerra interior lança-me dúvidas

Sei que apenas sou uma mariposa atraída pelo fogo

Lágrimas secas rolam molhando o meu rosto

Como gostaria de afogar-me nelas!

Minha alma está profundamente triste, sofrendo agonia mortal.

Banhada com a melancolia devastadora

Dificuldade imensa de poder respirar e querer permanecer vivo.

Por que sempre eu?

Só Deus para me responder...

Passeio na fúnebre melodia e repudio a luz.

Sentimentos vãos me consomem e inundam o vazio interior

Apenas rogo por clemência, terrores assolam a minh’alma.

Meu senso não existe.

Minhas asas de cera foram derretidas pelo calor do sol

Sonhando, caindo em um abismo de dores.

Engulo o choro para disfarçar a minha depressão

Logo agora que corria tudo bem... Eu tinha que estragar tudo como sempre.

Luto comigo mesmo todas as noites, o verão se foi no inverno da minha vida.

Onde está a harmonia?

Onde está o sopro que me traz vida?

Dance comigo, a dança da morte, sangre por mim.

Esta escarnação me repugna, mas tua cruz me atrai.

Chore por mim, cante comigo, sofra comigo, sinta o que sinto.

As cicatrizes se rompem, o passado quer tornar-se meu futuro.

Já não há poesia, não há canção, não sobrou nada e as cortinas se fecharam.

Acta Est Fabula

0 comentários


Não se ouve mais o som dos alaridos nem os sussurros da meia-noite, a dor que corrói a alma destruindo a ilusão é apenas  a imagem estigmatizada produzida pela luz de néon

Alegorias mórbidas enfeitam meu coração jazendo em uma sinfonia bucólica

Navegando num lago escuro vestido de magoa e melancolia, fadado, caindo morrendo...

O amor está despedaçado na esquina apenas esperando o carro fúnebre passar para levá-lo para a sua mais nova morada... O tumulo frio de mármore.

Caminhando no labirinto da alma me perdi e achei a obscuridade que quase palpável sobreveio na direção dos meus olhos enegrecidos.

A triste melodia que encanta os ouvidos do aflito é tão linda, mas não supera a beleza do sofrimento que queima e constante movimento e ardor.

A magnífica dúvida que dilacera o peito que fatidicamente se submete a tortura é apenas parte do caos que impregnam as nuvens deste céu cinzento e enfeita as paredes do meu quarto.

Sinto-me desprezível, estou caindo em terror, repugnado como se fosse o verme mais vil que devora um corpo putrificado, uma sensação terrível que meu coração foi inundado por uma gigantesca onda de emoções.

Esta noite mórbida e aterrorizante que fez produzir gritos agonizantes da alma está findando, mas não sei se eu já estou acostumado com a dor (talvez ainda não percebesse) e aflição e em meio aos meus pensamentos de desespero e morte escuto um leve sussurro que dizia: Acta Est Fabula.

A Borboleta Azul*

0 comentários




Mais uma vez estou ressecado por dentro repugnando a mim mesmo

Quando o vazio te enche com inúmeras dúvidas

Martirizado por meus desejos insanos

Bebendo o veneno mortal da Borboleta Azul

Será que continuarei sendo um anjo sujo?

Atormentado pelas criaturas das trevas que diziam aos meus ouvidos palavras de “apoio”

Sussurrando: Beba o doce veneno...

Bebi e gostei muito doce o sabor, mas no final é amargo como fel.

Chorei amargamente e hoje arrependido me prostro

Mas não tenho palavras para dizer

Somente sei que pequei contra Deus

Dá-me de beber do sangue do Cordeiro

E assim posso voltar à Ti...Não quero mais sentir o doce amargo da Borboleta Azul...

Por favor, afaste de mim este cálice.



*Simboliza o pecado

Ultimo Beijo de Lamento

0 comentários



Ouça o que digo Senhorita, Tu que andas com passos vacilantes.

Vejo que caída está, todo o meu desejo se resume em ti.

Teus olhos que choram me inundam com teus prantos

Minha face está deformada de tanto suplicar.

Sinto o peso de tuas dores, limpo as cinzas do teu corpo.

Ajoelho-me, ponho minha cabeça na guilhotina.

Leio esses poemas obscuros cheios de vertigem

Caminho em direção à porta, e vejo uma luz.

Pedregulhos que dilatam minhas pupilas, eu navego nas entranhas do monstro marinho.

Faz estancar a hemorragia da minha solidão, nos ouvidos uma melancólica melodia.

Estagnado e estigmatizado, minhas cicatrizes se rompem.

Peço-Te Todo Poderoso, misericórdia!!!

Sinto a lâmina do machado em meu pescoço e a foice cortando o meu coração

Suplico...

Dá-me Senhor, imploro a Ti, dá-me as dores e a tristeza da Senhorita do Campo, a Bela Dama da Floresta, pois não aguentarei mais vê-la de tal modo!

Esqueço dos meus pesares, as lágrimas teimam em cair, beijo a face daquela que quer levar-me daqui... Em qualquer lugar pode está chovendo, a névoa me cobre por inteiro.

Sinto o alívio como já estivesse na cova... Jamais me entregarei

Vida longa ao Rei, eu ouço alguém gritar, a neve cai em meu telhado de esperança, um outro dia verei meu recôndito, minha eterna morada, sou o vazio na imensidão.

Sacrifico-me diariamente, vivo um romantismo sombrio onde não há fim nem começo.

A escassez do amor, um imperfeito paradoxo, a ilustração de uma alma que chora.

Um choro doentio por ti querida, em um estado lânguido e em total morbidez.

Meus pulsos sangram, mas este sangue não me pertence...

Meus olhos são como os vitrais, tantos desejos insanos me lançam das escadarias do castelo... Tento pensar em mim, mas só tua imagem me vem em mente, leia meus lábios, ouça minha voz... Sinta-me agora, pois este é meu ultimo beijo de lamento.

No Compasso Do Bater Das Asas das Borboletas

18 maio 2010

2 comentários



Hoje o céu estava cinza quando abri meus olhos
E escutei as batidas do meu coração que estava no compasso do bater das asas das borboletas
que há tempos não as viam em meu quintal
Hoje me senti solitário e depois de um desabafo senti que a pressão aumentou um pouco, mas não foi culpa minha,talvez tenha sido culpa das farpas de madeira que entraram no dedo do marceneiro
Mas não quero falar mais sobre isso,já viram como as cores estão todas misturadas?
Será que vou viver sem teu corpo junto ao meu?
Sem tua mãozinha perto da minha?
E sem teus braços dentro dos meus?
A voz suave me faz refletir em todos os momentos que sonhamos ter um dia
E isso passeia em minha mente,talvez sejam apenas imagens abstratas de um futuro não vivído
E de lembranças que não chegaram.
De todos os triunfos da humanidade,você é o que mais preciso.
Não importa se outras musas existam,a minha "Mona Lisa" sempre será você.
Cantem a canção de outrora,corram novamente para o desatino
Lancem-se mais uma vez ,que a indecifravél está por vir.

Boo

01 maio 2010

1 comentários



Quem és tu que me arranca facilmente um sorriso?
Que me traz sanidade com tuas loucuras?
Que puxa minha atenção mesmo sem querer
Como se me convidasse para caminhar num mundo paralelo?
Não sei como a vida me fez cruzar teu caminho
Apenas sei que Deus quis que fosse desse jeito
E agradeço a Ele por ter feito.
Apenas preciso de teu manual de instruções
Para saber como funciona
No entanto gosto de me surpreender
Então deixa que as surpresas venham e invadam o local
Acho que não é necessário dizer com palavras difíceis
E argumentos poderosos o quanto te admiro e te amo
Talvez esteja estampado na minha face como uma tatuagem.
E a facilidade de aturar um bobo como eu, é que me fascina.
E o que mais eu poderia dizer?
Que a sorte veio até a mim em um sábado e permaneceu até hoje
E que durará muito tempo para ela ir embora (Talvez faça morada e fique para sempre)
Mas enquanto permanecer certamente desfrutarei dela o máximo que
puder.


(Te amo minha lerda predileta XD)

Memento Mori*

28 abril 2010

2 comentários



Sentado na cama,olhando tudo ao redor
Quarto escuro e pensamentos flutuantes
Perdido em minha tristeza aguda
Tentando quebrar as correntes que aprisionam o coração
Sozinho,cantado e não lamentado
Agonia aparente em minha face e todos já dormem neste momento
A quem poderia recorrer?
O medo bate à porta esperando que ela seja aberta
E as lamúrias cantam entonadamente
Memento Mori
Corpo fadado ao cansaço,tento dormir mas não consigo
Apenas posso destilar meus sentimentos em letras garrafais
Para que todos possam ver que há um guerreiro ferido por uma lança mortal
As lágrimas embaçam o olhar e o semblante caído se desfalece por dentro
Então busquei à face Daquele que me um dia me chamou
E perguntou-me: Por que temeis, homem de pouca fé?  
Disse eu : Tú sabes qual o meu maior temor.
E Ele mais uma vez me disse: Este tempo não é tempo de lamento e sim de guerrear
-Mas como poderia eu sair à luta ferido e amargurado com coração em prantos e alma despedaçada?
Apenas peço-Te forças para expelir toda essa dor que aflige minh'alma
E ser liberto dessa prisão que eu mesmo escolhi. 


*Memento Mori é uma expressão latina que significa algo como "lembra-te homem que morrerás um dia"

Lorena*

16 abril 2010

3 comentários


Até parece que a história é a mesma que de forma circular gira seus 360 graus

Mas apenas é uma ilusão de óptica.

Os anos passam e achamos que ainda somos aquela mesma criança que vivia uma vida mágica e interessante, mas esquecemos de um detalhe: Nós crescemos!

E nessa jornada tão louca e surpreendente nos vemos meio perdidos.

Então é que percebemos que o tempo foi passando, mas não perdemos a essência.

E sei que nem eu e nem você jamais perderemos, nem que o relógio dê suas doze badaladas você não precisará sair correndo e perder seu sapato de cristal, por que mais precioso que o cristal que possa ter, o seu coração é mais valioso que todo o tesouro que possa existir nesta terra.

E mesmo que não haja reino encantado e príncipe montado em um cavalo branco, sua felicidade será maior que possa imaginar e mesmo que essa terra não seja uma maravilha, pode esperar que lhe convidarei (um dia, não sei) pra tomarmos um chá.

*Presente de aniversário 

Como você está e onde quer chegar?*

01 abril 2010

0 comentários



Se alguém viaja e vaga,

Por ai, a fora não há ventos que o leve,
Para longe de si.
Não há amor que sustente,
Um coração que anda sem destino.
Não existem sandálias que resistam,
Há trechos ásperos.
Não águas que sacie,
A sede daqueles que vagam no deserto.
Dos que estão com os lábios feridos,
Os pés ensangüentados...
Oh! Deus a falsa luz que eles buscam,
A miséria da paz egoísta que os leva a confusão,
E estudos que conduz a condenação.
O amor pela placa da religião
E a hipocrísia diante sua imensidão do amor de Deus!
Algumas orações são pedidos e mais pedidos que
Não passam da fraqueza humana ao buscar interesses,
Acostumados à facilidade!
Será que é tão difícil para nós humanos buscar a Deus?
Mas uma busca de amor, não a busca mesquinha!
Deus te ama, ame a ele com tudo que você tem.
E com tudo que você pode ser que seja pra Deus!
Deus entregou seu único filho, Jesus, ele foi para a cruz.
Por te amar, e ele não quis ser Deus!
Mas Jesus ressuscitou
Para que você pudesse ser salvo
E você não consegue agradecer?
Você só sabe pedir?
Agradeça a Deus por ter te amado
Muito mais que você possa imaginar!
 
*Poesia criada por Mayanna

Como uma Fênix *

28 março 2010

2 comentários

Talvez haja muitos caminho a seguir

Mas preciso ter uma direção

Mas todos me fizeram invalido fui ferido





Não imagino como puderam fazer isso comigo

Me sinto frágil sucessível e grito socorro pelas madrugadas



Nessas horas não sei o que fazer e não consigo conter as lagrimas

Que cobrem o meu rosto só lembro da tal luz que mal compreendo

 Quantos passos preciso dar para aquele que se chama Jesus

A tal luz que ilumina minha escuridão?



E quantas vezes tenho q gritar pra ele me ouvir?

Só consigo chorar, me arrependo por tudo que fiz.

Por outra vez ter crucificado-o



E o que posso fazer?

Me disseram que basta apenas crer

Que Ele ressuscitou e espera por mim

Quando enxugo minhas lagrimas sinto seu Abraço

 Amor tão grande que faz meus pés correrem numa só direção



E como a fênix das cinzas eu me refaço e vôo livre na imensidão

Desse amor que Jesus tem por mim


* Poesia criada em parceria com minha amiga Mayanna 


Retinas Embaçadas

26 março 2010

1 comentários

As folhas caem no outono e eu posso ver como as ruas já não estão tão movimentadas
Como num ciclo fechado a história se repete e assim segue seu destino
Mas não gostaria de continuar aqui, então beije as estrelas comigo e mostre a sua alma.
Escutaremos os gritos da multidão, mas seremos os únicos a desfrutar desta liberdade
Esses sorrisos desbotados que vemos nos cantos das bocas daqueles que não tem felicidade nunca poderão nos afrontar.
E se acaso me faltarem forças e se um dia meus olhos desistirem de abrir?
Perguntas estúpidas só merecem respostas tolas as quais ninguém ousará fazer.
Porém lutaremos contra essas lágrimas que teimam embaçar nossas retinas
Com sorrisos bonitos e mentiras sobre o tempo
Então eu pensei nos anos que passaram e vi que ainda não estava preparado para isto
E me escondo dentro do meu quarto escuro iluminado apenas por luzes de vaga lumes
Que bailam no ar em uma coreografia espantosa.
Meus pensamentos fluem livremente e tentam me consumir e diante disso tudo
ajoelho-me e tento respirar e sentir um pouco do calor dos raios do sol
Se isso tudo faz parte de um sonho, pretendo dele acordar e se a chuva cair novamente
Como está caindo neste exato momento não hesitarei mais uma vez de correr para o abrigo mais próximo
E se me faltarem vírgulas, pontos e acentos eu não me preocuparei se esses erros gramaticais vierem embaraçar meu futuro.
E neste momento fecho os olhos e oro para que um dia possamos ver aqui algo que excede tudo que possamos sonhar.

Indecifrável

25 março 2010

4 comentários
 




Ela é um anjo enviado de Deus que conquistou meu coração
Ela a beleza que me alegra e enfeita todas as minhas noites
Ela sinônimo de perfeição,pureza, encanto e amor
Ela a canção que mais amo, o mais belo dos cantos em esplendor
Tento imaginar o que se passa em teus pensamentos quando sorri
Apenas indago,pois indecifrável és totalmente pra mim
Talvez quem sabe um dia me conte teus segredos
Imploro querida mesmo que sejam devaneios
Ainda verei de perto este teu sorriso,que de tão perfeito que é me deparo em outra dimensão
Na verdade te sinto perto,longe ,não importa distância ou direção
E me vejo atraído só pelo som de tua voz
Minha menina querida,vieste à minha vida
Não somente para ser um presente
Mas também para ser um futuro. 

O Labirinto

07 março 2010

5 comentários
 


Estique as mãos para poder pegar a estrela mais distante

E talvez encontrar teus passos na areia

Algum de nós sonhou que tudo seria bom um dia

E que todos os perfumes das flores seriam sentido em sua essência real

Mas a lua está tão longe e o que posso escutar são os cantos dos ventos

Que atravessam meu quarto.

As lágrimas embaçam o espelho com o calor

E ninguém passa por aqui neste momento que seria tão oportuno para tantos outros.

Eu nunca me esqueceria, por favor, finja que é divertido, então correríamos para os campos verdejantes.

Essas estações que passam diante de mim são ondas sonoras que atingem o continente

E assim vou vivendo sem ter medo e sem vivenciar o final de tudo.

Por incrível que pareça não tive a mesma sensação quando escutei uma coisa por duas vezes.

E o desesperos dos astutos estudantes de teorias sem fundamentos eu comparo com o choro de uma criança com medo de ficar só.

E falando nisso, a solidão é algo que te destrói, mas te restitui, isso se souber lidar com ela.

Porém desejo que tudo o que somos se torne real algum dia, mesmo que não seja hoje, mas que seja sempre algo que busquemos mesmo que não haja uma luz no fim do túnel.

E assim como os atores, vou me despedindo, pois temo que o cinza do céu possa influenciar nas decisões dos homens ávidos que habitam este lugar que com um termo bem vulgar podemos o chamar de labirinto.












Suspiros

4 comentários



 

Enquanto fecho os olhos o mundo gira devagar

E vejo todos os ângulos que há muito não os via

Sempre tentando perceber como seriam as cores que não fazem mais parte disso

Então procuro entender se um dia verei teu rosto mais uma vez

Talvez não, mas espero que sim...

Este frio faz despertar em nós uma chama que jamais apaga

Por isso respiro e sei que tenho uma razão para viver

Mesmo que não a veja.

Posso filtrar o tempo que perdi escrevendo linhas que não me levou pra lugar algum

E então andar por um novo caminho com as palavras alçadas na brisa da noite

Poderia te pegar no colo e sentir o teu sorriso e assim quem sabe ir pra um lugar seguro

A vida é uma caixa de surpresa, assim dizem os sábios, mas ainda prefiro ser tolo e deixar que tudo aconteça ao seu tempo.

Eu me pergunto se esses dias estranhos um dia irão acabar, pois são tão vazios e

 Não consigo me encontrar aqui, talvez lá, não sei...

Espero que essas reticências durem para sempre, eu trilhei um longo caminho até aqui.

Não desejo que seja o fim da estrada.

Se ela soubesse o quanto meus olhos a vigiavam e quanto meus ouvidos se deliciavam ao ouvir sua voz, eu sei, ela sabe.

E esses carros que atravessam as ruas e avenidas do meu coração atropelam minhas veias e me sinto sufocado, mas considero que esse não é o fim.

Agora escuta esse coral e a linha melódica da guitarra, é infinitamente ensurdecedor e magnífico, e ainda o traço do quadro que enfeita a sala de visitas é um tanto quanto surreal, mas não quero me perder em minhas linhas nem nessas palavras, o que desejo realmente é saber quantos suspiros ainda me restam.

Misterioso Olhar

23 janeiro 2010

4 comentários






 Ao som do canto dos pássaros ela dança

Sem se envergonhar ela sorri

Um sorriso tão majestoso que ilumina todo o lugar

Mas espere... Ninguém entende o que ela faz

Mesmo fascinados por tanta beleza e esplendor

Ainda se perguntam: De onde será ela?



Ela é a alegria de todos da aldeia

Ela é a razão de toda essa festa

Mas quem é está?

Um curioso que estava a passar

Levanta mais um questionamento

Mas todos perplexos não respondem

A tal pergunta que naquele momento

Não era tão importante quanto aos movimentos

Da silhueta que de forma exuberante saltava de alegria



Até a sua sombra fazia todos ficarem mudos

Oh quão bom é ver todos desse jeito.

E como me sinto tão bem por estar vivenciando este momento

Tão sublime e histórico para todos.



Mas ainda fica a pergunta no ar

Quem será esta?

Agora desvendo a ti este misterioso olhar

Esta é a que não tem vaidade

Ela é a vida que passa através dos anos.