onselectstart='return false'>

As Flores de Papel

18 dezembro 2010


Com olhos cansados e mãos doloridas
procuro palavras na estante
mas esqueci que as frases estavam
amarrotadas no bolso da minha calça
então reli todas aquelas letras 
e as coloquei numa garrafa e joguei
pelo ralo da pia da cozinha
Pra ver se a mensagem chegava aos
casais que tocam as mãos e trocam olhares
em frações de segundos
E se o comediante abriu as flores de papel do jardim artificial
mas os mesmos olhos cansados e as mesmas mãos doloridas
já não aguentam mais,mas nem por isso a poesia tardará
de colar os cacos dos corações partidos e beijará a alma lamentada

2 comentários:

Bruna disse...

Você é tão inteligente! Você escreve tão bem! Eu sou sua fã e quando meu blog crescer ele quer ser igual o seu!

Aníssima Duarte* disse...

Eu sou uma flor de papel!
E vc, é um mago das palavras, traz vida a elas. Muito perfeito o poema, pura poesia!
Bjoooooooo!