onselectstart='return false'>

Sabor De Céu Derretido

21 outubro 2012





  Teu sorriso sonoro entorpece meus tímpanos e meus sentidos se calam perante tua beleza que não se cansa de ser bela.
Ao ver teu rosto minhas pupilas se dilatam e a forma em que contemplo tua imagem limpa e nítida só reforça meus discursos em formas de pensamentos.
A cada melodia cantada a cada passo teu, transforma teu caminhar em uma sinfonia gostosa de se ouvir,é como se o chão sentisse prazer ao ser pisado ti.
E agora não tenho muita coisa a dizer, para que o clichê não me tome por obsoleto e sem descrições de palavreados contundentes com suas variações e apenas finjo que isso é divertido.
Lançarei sementes de estrelas para que cresçam florestas de constelações para iluminar teu caminho por que quando te vires, minhas pupilas dilatarão novamente e é bom sentir o sabor de céu derretido com gotas de nuvens se derramando pelas bordas.
Desejo decantar canções, soprar silabas como bolhas de sabão, sussurrar nos silêncios de meus gritos ao me desequilibrar de uma corda bamba.
Queria te contar quais são meus medos... Mas...
Espera!
Este não é um bom momento para poder ferir os desenhos das letras aqui formadas, é um momento de uma transmentalização desenfreada.
Ao voltar ao centro de meus pensamentos, suponho que cada hora exalada me faz bem e isso acontece toda vez que abro os meus olhos e ao acordar de um sonho inesperado gostaria de ver tua face diante das minhas retinas molhadas pelo orvalho.
Meu caminho sempre solto onde minhas mãos já não mais se divertem ao se balançar ao sabor do vento elas desejam sem rimas neste momento que haja companhias para seus dedos.

2 comentários:

Carolli Márol disse...

Rebuscado ♥

Gennize Gimenes disse...

É incrível como você sempre surpreende! *-*