onselectstart='return false'>

Rimas Desencontradas

18 novembro 2011






Deixei de lado todos os meus afazeres e vim te dizer que meu coração já não aguenta segurar todo esse sentimento.
Estico meus dedos pra poder te desenhar um sorriso,pra te fazer feliz todos os dias.
Te fazer feliz é a missão que eu tenho neste mundo.
Esta não é uma confissão aleatória que encontramos por ai em cada esquina, é apenas uma alma que deseja entrelaçar-se com a tua, é respirar teus pensamentos, é sentir teu abraço distante, é o beijo ainda não dado.
Gostaria de embrulhar todos os acordes e te dar de presente para que você pudesse ser a minha própria melodia.
Eu sei que poderia falar tanta coisa aqui, mas guardarei para que sejam ditas quando puder te sentir, pequenas frases soltas eu te envio pelas ondas de rádio para que cada vogal se encaixe perfeitamente naquilo que eu quero te transmitir.
Meu sangue corre tão forte que aquece minhas artérias, te sonho tão perto que quilometros parecem não existir
Que este texto desconfigurado exprima meus falatórios insignificantes...
E penso:Do que adianta ser reconhecido por muitos se apenas quero ser conhecido por ti?
É quando me deixas que te quero mais,é quando se ausenta que te desenho no ar , é nestes olhos que quero me enxergar, onde a íris navega como se estivesse em um lago de águas cristalinas, é com estas simples palavras simples que te desejo agora aqui e  é com essa minha habilidade de não ter talento que eu digo que te preciso pra sair ileso desta saudade que me maltrata, que essas minhas rimas desencontradas possam te encontrar.

3 comentários:

Deborah do Aprisco disse...

Excelente poema, transborda sentimento... Parabéns, irmão!! Todo cheio de inspiração e talento.

Gennize Gimenes disse...

Que perfeito! Adoro .. quase sempre me identifico ><

kelman disse...

puuuuuxa!
Guto...tá lindo demais!
quanto sentimento!!!sentimento expresso q toca profundamente arrancando os nossos próprios sentimentos...
vc está sempre,a cada dia melhor!
parabéns!